Páginas

domingo, 27 de outubro de 2013

Trans "The Auto" Formers | Episódio 66

Episódio 66 | Catchup no Pára-Choque

Escrita por | Rovorys Trombini
Produção Executiva de | Ingrid Trombini
Direção de | Rafaela Trombini e Natália Santos

-Nossa, que lugar mais...blé! – diz Bumblebee.
-É o único lugar onde podemos ficar, meu amigo.
-Por que vocês não vão para o nosso cassino-hotel? – pergunta Marimar.
-Obrigado, Mari, mais nós ficaremos aqui.
-Tudo bem então. Ah e Optimus, venha com a gente. Tem uma pessoa que quer falar com você.
-Quem?
-Uma amiga sua.

Amiga? Quem será que é, mais sei que o cassino era muito lindo. O nome dele era “Quatro Dragões”, era lindo aquele cassino e Mari me levou até uma porta.

-Entre por ali, agora com licença que preciso resolver uma coisa com o Sérgio aqui.
-Está bem.
-IDIOTA!!! VOCÊ SABE QUANTO CUSTAM ESSAS MÁQUINAS? NÓS DEVERIAMOS ESTAR ABRINDO O...MAIS QUEM É PORRA? Alô? ALÔ??? MAIS QUE PORRA HÁ DE ERRADO COM SEU PESSOAL?
-Chefe, é o Optimus.
-Sari? O Que houve? Parece estar nervosa.
-Sim, um pouco. Ainda bem que você veio.
-Bem, sou novo na cidade e não sei muito bem falar o português.
-Você vai se acostumando, é só ter calma. Estou vivendo um pesadelo. Ai, nunca tente abrir um cassino da Elite em uma cidade que é dominada pelo tráfico.
-Os traficantes estão tentando te extorquir?
-Sim, as corporações estão mudando e todo mundo está sentindo a pressão. Eu tinha algumas máquinas caça-níqueis arruinadas, trabalhadores assustados...
-E Quem está por trás disso?
-Bem, existe três famílias de traficantes aqui, e uma delas é os Quintessons e cada uma delas, fez investimento no cassino Caligola e um advogado que fumou uma das ervas deles, controla tudo isso. Poderia ser qualquer um deles, ou todos.
-Não podemos dar um pouco á eles?
-Não. Além das autoridades habituais que precisam de suborno, cada um quer um pedaço e eu não quero entregar todo o esforço do meu pai para um drogado maldito.
-O Esforço do seu pai?
-Sim, foi o meu pai que construiu isso quando ele ainda enxergava, e também, quero lhe oferecer uma parte dos lucros do cassino, assim você pode achar seu pai, e também...em troca de uma ajudinha com esse problema. Como isso soa, parceiro?
-Então, acho que fizemos negócios.
-SENHORA! Os rapazes encontraram uns brutamontes querendo destruir as entregas. Nós pegamos um deles.
-Livre-se dele.
-Ei, espere! Quem quer que seja que está por trás disso, precisamos deixar que ela saiba que está lidando com loucos de verdade. Amarre ele em um carro, deixe ele suar um pouco e eu estarei lá fora em pouco tempo.

-Vou ver se consigo fazer esse cara gritar.
-Hehe, esse é o Optimus que eu conheço.

-Hey, hey mais que porra é essa? Me solte!
-Quer saber de uma coisa? Vamos dar um passeio sim? Amarre ele em mim.
-Hey, mais quem é você, me solte seu puto! Me solte agora sua bicha filha da puta!
-Não, acho que vou deixar você bem calmo agora.
-VOCÊ SABE QUEM SOU EU SEU GAROTO DE PROGRAMA?
-Não, mais acho que irei descobrir.

Agora, vamos começar, ouvindo “The 6th Gate”, só para deixar o cara assustado, mais vamos lá, vou correndo sem parar, e esse cara já está se borrando inteiro.

-AI PARE POR FAVOR, NÃO PODEMOS FAZER UM NEGÓCIO????

Ai, é melhor eu parar, por que senão o bebê vai ficar chorando.

-VOCÊ VAI VER. A FAMÍLIA VAI TE PEGAR!!!!
-Qual família?
-Os Quintessons seu idiota!
-Era tudo o que eu queria saber.
-O Qu...ah merda!

Cheguei de volta, desamarrei ele do meu peito e o guarda de Sari o levou embora hahaha, isso foi demais, muito demais porra, o carinha ficou com tanto medinho. Hehe, nossa mais agora o caminho de volta para a casa é grande, pois é uma favela, vamos dizer então, Let’s Go Back!

Nenhum comentário:

Postar um comentário