Páginas

domingo, 9 de março de 2014

Transformers: Uma Máquina Para Porcos | Capítulo 05

Meu Primus...que barulho é esse? Será ele...não! Não é possível. Não! Ele não. De novo não! Bom mas...outra caixa de fusíveis está estregada. Andando pela máquina...eu tinha descoberto uma coisa: Mais uma carta. Não acaba as cartas não? No tempo de Tenebris Lake as cartas eram poucas, enfim...

19 de Agosto de 2009
Sentinel escreve sobre a força ódica, enquanto o charlatão ignorante do Ultra Magnus pontificou sobre a alma. Os dois são cretinos. E pensar que alguém conseguiria as tamanhas alturas sem antes cruzar vômito e vísceras sem ponderar uma arquitetura de ossos! Montezuma foi o mais sábio. Mais aqui, nos nossos templos de aço, testemunhei a cabeça decapitada de um homem, atropelado recentemente por um vagão de fuga, imersa na solução do composto de Brennenburg, abri os olhos e clamar: "Oh, onde estão minhas pernas, senhor? Onde está o meu corpo?" Estamos superando as barreiras da própria morte. Ah, meu amado paizinho, Alpha Trion...é tarde demais para você, mais lhe faço uma promessa: Salvarei minha amada e meu filho da morte e se, necessário for, as arrancarei da escuridão com essa bela invenção.

Sim...essa invenção...poderia ser uma das salvações para que eu tenha minha Arcee para sempre perto de mim, para sempre...agora...preciso salva-la. Ela não irá ter o destino de meu pai. O que é essa porta? Está trancada. Bom, é só tirar o pau que MASOQUEÉISSO???

O que foi que eu vi? Parecia um...porco...

Nas cartas que eu li eles sempre mencionavam porcos, mais...será que é...não. Grimmy de volta não. Eu o matei, matei Megatron naquele dia. Como que isso pode...isso está afetando minha cabeça, literalmente. Eu tenho que pegar o fusível e sair daqui. Quando eu passava para poder ligar outra máquina...eu o ouvia. Era mesmo um porco. Não é possível. Grimmy, está de volta. Como isso é possível. Talvez não seja ele, seja um monstro mesmo mais Grimmy, pode assumir várias formas...então...esse porco...pode ser ele!

Coloquei o fusíl e a porta se abriu agora me resta é ir até lá.

Fui avançando e vi algo...nossa...parecia uma...mulher...Arcee?

-Venha Optimus. Eu sei o caminho.

Segui sua doce e linda voz para um lugar cheio de destroços. Parecia uma guerra só de olhar. Então...eu comecei a...

-Fique parado. Deixa eu limpar seus olhos. Pronto. Tá limpo.
-Papai...eu vou ficar bem?
-Vai sim. E não brinque mais no porão. Você sabe que lá tá cheio de pó meu filho. Você é alérgico á pó.
-Tá bom papai.

Bem...o que é essa porta? Parece...um cofre.

-Eu disse que ele viria.

Arcee? Meu amor? É ela. Atrás daquele "cofre", o que é isso? Mais um daqueles rádios. Eu vou dar uma olhada.

-Nossa. Impressionante mesmo. Deve ter dado trabalho ter construído tudo isso.
-Fiz isso com meu desespero. Mais o que devo fazer? Cair na depressão, ou continuar até cair numa poça de lágrimas e parar em alguma floresta.

Acabou, sem me dar mais nenhuma explicação. Tá certo então. Eu então abri aquele cofre. Nossa mais o que é isso? Um sistema de máquinas muito inteligente por sinal. Vamos ver. Eu puxo esse para ligar, depois giro a da direita para fechar a porta, puxo a alavanca do meio para poder ligar e girar a alavanca da esquerda e a porta se abre e depois puxar a alavanca que puxamos primeiro e VOALA!!! Tá, não foi muito impressionante mais...hora de prosseguir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário