Páginas

sábado, 12 de abril de 2014

Transformers: Uma Máquina Para Porcos | Capítulo 15

Andando por aí...ai não, ele de novo não. É o porquinho. Sim, ele está de volta ,e desta vez não tá mais mancando. Tá andando igual gente. Meu Primus...o que houve aqui? Ai, cheguei em um buraco. Será que foi aqui que eu abaixei a água? Eu acho que foi, hein, tenho certeza que...ai meu Primus...tem um porco aqui...ai ele tá lá em cima. Beleza, esse porco não vai me pegar.

Meu Primus, que susto. Ah não, essa não. Esse monstro da água tem eletricidade. Tô ferrado. Eletricidade...ai meu Primus...achei mais uma válvula, mais o porquinho está atrás de mim e agora uma coisa que me assusta sempre: CARTAAAAAS!!!!!!

17 de Fevereiro de 2009

E eu disse, olhem, meus queridos, vocês estão vendo? Ao que eles responderam: “Sim, papai, estamos vendo”. O cume elevado e envelhecido de uma pirâmide íngreme, como as do Egito. Pedras caindo do cume, videiras se arrastando e se entrelaçando até as serpentes de estuque que se avultam nas escadas. Um senso palpável de inércia, um peso do esquecido. E aqui é onde o rei sentou. E aqui é onde os padres viveram. Esta casa é a casa dos mortos. E aqui, onde o sol toca, é onde eles jogavam os corações não consumidos.

Não, meus queridos, eles certamente não eram selvagens. Vejam bem. Eles achavam que o céu poderia cair na cabeça deles e criam que oferendar sangue era a única forma de impedir que isso acontecesse.

Talvez, meus queridos. Talvez eles estivessem completamente errados. Ou talvez o desespero deles fosse o fato de não conseguirem derramar quantidade suficiente de sangue para impedir que o céu caísse sobre eles.

Olha...então tá né, quem sou eu pra discutir né. Ai, achei o local e o monstro da água estava por aqui, pois muito que bem vou entrar aqui e parece que a porta estava fechada e eu terei que abri-la.

-Isso, Optimus. Agora falta pouco.

Ai minha Arcee, se Primus quiser, eu vou te encontrar. Vish, mais um daqueles mecanismos. Tá, liguei primeiro a alavanca, depois girei a válvula da esquerda, puxei a alavanca do meio, saiu uma fumaça e girei a válvula da direita e VOALÁ!!! Ah e repuxei de volta.

Meu Primus...mais o que é isso? Um ninho de...monstros? Tá cheio de porquinhos aqui. Nossa, eles tão comendo. É como se eles fossem humanos...e por falar nisso...e tenho que soltar o Spike daquela armadilha. Não vou esquecer de novo.

Meu Primus...para onde eu vou só tem porquinhos. Aqui é o ninho deles, a casa onde eles vivem, o lugar onde comem, dormem, fazem tudo. Que tenebroso...até onde transam...meu Primus amado. Que lugar amaldiçoado. Nossa, ainda bem, saí daquele pesadelo e entrei em um...cano? Sim, é um cano. Nossa, que cano mais estranho.

Ai, estou perdido aqui. Não gosto de me perder, ai achei uma escada. Agora...partiu ir pro inferno né. Meu Primus, tá tudo tremendo. E agora? Tem duas escadas. Da direita e da esquerda. Para onde eu vou? Sim, claro. Direita sempre.

Ai, cheguei em algum local e pelo mapa...eu estou bem perto...do fim. Achei um lugar estranho e mais um gravador.

-Você parecer ter passado por uma conversão profunda no México, Prime.
-Ratchet, é impossível ver o que vi e não mudar. Quando desembarcarmos, mesmo com febre, consegui ver os detritos do que chamam de progresso. Eu vi fome, doenças, podridão e destruição poluindo as águas da República. Você,eu e todos nós somos destruidores e estamos fazendo da Terra, igual fazíamos em Cybertron. Transformando em um lugar impuro.
-Agora age como um redentor?
-Ratchet, não sou tão presunçoso. Sou um mero peão de obras. Estou elaborando um plano para acabar com isso e fazer nossa maldição sufocá-la com vapor.

-Ele chegou. Ele chegou.

Sim, Arcee eu cheguei só para você meu amor.

-Eu sabia que você viria meu amor.

Ai, são as bombas que o sabotador desligou, mais não completamente. Dá pra eu abaixar a inundação. Tá achei uma escada e agora eu vou subir ela com grande estilo.

-Adiante está a corrente para águas mais brandas. Eu adentrei o templo cada vez mais, sempre descendo. Segui um vento que trazia a voz da minha mulher, que me intimava a libertá-la.

Um vulto...um simples vulto...que some. Eu quero desistir de tudo isso, mais é Arcee que está em jogo. PRIMUS, PORQUE O SENHOR NÃO ME AJUDA AGORA NA HORA QUE EU MAIS PRECISO???? Como sempre suspeitei...os deuses nunca ajudam a gente.

Achei um lugar que liga as bombas e as liguei. Tá, o que aconteceu? Então tá né. Não aconteceu nada. Ai, apareceu uma máscara de porco. Faz tempo que não vejo mais essas máscaras. Ah abriu a bomba principal. Vamos ligá-las então. Ah não. Gás venenoso, vou ter que ir pelo outro lado. Ai, vamo lá então e...AH NÃO PORRA!!!! EU CAI NA ÁGUA...MONSTRO DA ÁGUA?????? NÃO É POSSÍVEL, SAIA DE MIM SEU INFELIZ, SAIA DE MIM AGORA!!!! DOIS AINDA??????????????? SOBE PORRA SOBE PORRA SOBE AS ESCAAAAAAAAAAADDDDAAAAAAASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ufa, ainda bem. Escapei.

Ai ainda bem, tudo na paz...ou não. Beleza, cheguei na bomba principal. Parece que estou na penúltima sala, acho. Tá, eu não consigo achar aquele mecanismo, ou melhor, não dá pra girar ele. Acho que estou meio perdido. Ah falta mais peças, ah aqui estão elas. Deixa eu por elas e girar a válvula. VOALÁ!!!! Tá, e o que abriu? Não entendi, tá eu acho que é pra eu me jogar aqui. Tá, vou me jogar.


A hnão. Eu fiz uma cagada imensa. E ume caí no buraco cheio de merda. E agora? Como eu saio daqui? Hum...uma pedra. Talvez se eu arremessar...JÁ SEI!!! Vou arremessar na escada, para que ela desça. Genial. Tá, vou subir pronto. Ai eu voltei, então a resposta está por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário