Páginas

sábado, 14 de junho de 2014

Trans "The Auto" Formers II | Episódio 14

Episódio 14 | Assassinos á Sangue Frio

Escrita por | Rafaela Trombini + Ingrid Trombini
Produção Executiva de | Natália Santos
Direção de | Rafaela Trombini + Natália Santos

Depois que eu e Optimus demos uma volta por Las Axalon e vimos os cassinos e outras partes legais, voltamos para o banheiro, onde Jazz estava, quando chegamos, ele estava fumando algum baseado, acho.

-Jazz? – pergunta Optimus.
-Tô aqui...cof cof. Desculpe-me, estava aqui curtindo a vida.
-Percebi.
-Enfim...não to aqui pra discutir. Aquele maldito do McAffrey pegou mais suborno de um humano qualquer. Ele acha que vai virar testemunha do estado. Ele vai delatar. Ele está sob proteção da HighTech, uma empresa de tecnologia que está no mercado desde o século passado. Vão lá e queime tudo!
-Com o cara junto?
-Você não me deixou terminar. Não, com ele não. Faça que ele fuja, ou melhor, que todos fujam, e depois os cace! Tenham certeza que ele não vai abrir o bico dessa vez.
-Vamos Bee.

-A HighTech é uma grande empresa de computadores, eles que ajudaram o grande conquistador Starscream á fazer que as máquinas tenham direitos no planeta Terra. Não podemos queima-la. Devemos á ela, e ao nosso líder, já falecido há muitos ciclos estelares. Tive uma ideia. Vem comigo.

Ele me levou para um lugar estranho, nem eu sabia direito.

-Tá vendo isso aqui? Isso se chama “Coquetel Molotov”, acho que você já ouviu falar. Vamos no quarto dele e botar fogo só lá, isso não vai prejudicar a empresa, como o Jazz quer. Então, vamos?

O Optimus me guiou, e nós chegamos no apartamento onde estava o cara.

-É aqui. Vem, tenho um plano. MCAFFREY!
-O que vocês máquinas desprezíveis querem?
-Queremos que pare de falar qualquer coisa pra qualquer humano babaca.
-Foi o Jazz que mandou vocês é? Aquele idiota é invejoso, pois eu trabalho na HighTech e ele não.
-O que...quer dizer?
-Isso mesmo. Eu roubei o cargo dele na HighTech e agora ele está dando uma de cú doce. Vão embora se não quer que eu exploda a cabeça de vocês!
-É mesmo? Bee, jogue a bomba.

Joguei o coquetel bem na janela do apartamento, e ele saiu de lá, acabou pulando e caindo da janela. Ele tinha batido a cabeça, mais ainda esta vivo.

-Vai se render?
-N...n...nu...nunca!
-Ótimo.

Ouve-se o som do tiro que Optimus dá em sua cabeça, matando-o, eu nunca vi um humano sangrar desse jeito...era horrível e legal ao mesmo tempo...eu não conseguia expressar o que eu sentia naquele momento.

-Vamos falar com a Lune, agora. Vem Bee.

Chegamos no apartamento dela, e ela não estava lá.

-Hah, mais uma daquelas cartinhas da Lune. Vamos ver o que está escrito nela.

Eu fui fazer compras. Nossa fonte confiável diz que um dos meus soldados su é um policial disfarçado. Então, eu coloquei um rastreador nele, façam ele sangrar.

-Vamos ter que matar mais um hoje. É no cassino Four Dragons, vamos Bee, depois chega.

Fomos até lá e vimos o cara que estava saindo.

-É um policial. Cuidado Bee, já sei, vamos por trás, eu fico na frente e você atrás pra dar uma chave de pescoço nele, certo? Então, vamos.

Fomos, o Optimus parou bem em frente á ele.

-Dá licença, cara.
-Acho que não. Vamos Bumblebee.

Dei uma chave de pescoço nele e ele acaba caindo no chão.

-Você é um policial, não é? Está vigiando nossa chefe.
-É e daí? Eu sei que vão me matar, mais não to nem aí.
-É mesmo? Bee, me dá a pistola.
-Espere...foi brincadeira.
-Mesmo? Vamos ver se isso que irei fazer é brincadeira.

Eu impeço ele de atirar nele.

-O que? Comportamento Decepticon??? NUNCA!!! – ele diz isso atirando no cara. – Ops, foi brincadeira hehe. Vamos para a casa. Ei, o que foi? Calma amigo.

Ele encosta as mãos em mim, mais eu tiro e limpo onde ele tocou. E vou embora...para outra direção.

-Tudo bem, VÁ SEU INGRATO! Mais vou contar pra Lune depois viu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário